Dennis Rodman deixa a Coreia do Norte sem revelar se esteve com Kim Jong-un

    O ex-jogador da NBA, Dennis Rodman, concluiu neste sábado (17) uma visita de cinco dias à Coreia do Norte, em sua quinta visita ao país, sem confirmar se esteve ou não com o líder norte-coreano, Kim Jong-un.

    “Foi uma viagem muito boa”, afirmou Rodman à imprensa no aeroporto internacional de Pequim, na China, após a aterrissagem do voo procedente de Pyongyang.

    O ex-jogador de basquete não quis dar mais detalhes sobre a sua quinta visita. Ao ser questionado se tinha se reunido com Kim Jong-un, respondeu: “É uma boa pergunta, você vai saber mais tarde”.

    Rodman publicou hoje em seu perfil oficial do Twitter uma mensagem em que dizia “eu venho em paz”, acompanhado por uma foto rodeada de câmeras e vestindo uma camiseta com uma caricatura sua escrito “Embaixador Rodman”.

    O antigo ala-pivô do Chicago Bulls desembarcou em Pyongyang na terça-feira (13) dizendo que seu objetivo era “abrir a porta” para o diálogo com a Coreia do Norte. Desde então, nem ele nem o regime norte-coreano deram quaisquer informações sobre a sua visita.

    Sua ida ao país aconteceu em um momento de particular tensão entre Pyongyang e Washington, por conta dos persistentes testes armamentísticos realizados pela Coreia do Norte. Segundo a imprensa americana, desta vez Rodman só se encontrou com autoridades de menor escalão.

    Rodman viajou à Coreia do Norte como cidadão, não representando oficialmente os EUA, afirmou o Departamento de Estado americano (o equivalente ao Itamary, ou Ministério de Relações Exteriores dos EUA).

    Ele é um dos poucos americanos que se reuniram com Kim Jong-un e visitou o país. Durante a campanha presidencial americana, apoiou o então candidato republicano, Donald Trump.

    Otto Warmbier

    Poucas horas após a sua chegada ao país asiático, o regime norte-coreano liberou o estudante americano Otto Warmbier, de 22 anos, que estava detido havia 17 meses por supostamente roubar um cartaz da propaganda oficial de um hotel em Pyongyang. Ele havia sido condenado a 15 anos de trabalhos forçados pelo suposto crime.

    Warmbier, no entanto, foi entregue em coma e sofreu graves danos neurológicos, segundo o hospital de Cincinnati, onde o estudante universário está internado desde seu retorno aos EUA. A família diz que ele está em coma desde março de 2016, quando contraiu botulismo, mas que só soube da condição de saúde do rapaz uma semana antes da sua libertação.

    A versão oficial norte-coreana é que liberou o estudante por questões humanitárias.

    Rodman, de 56 anos, recebeu duras críticas pela sua amizade com Kim Jong-un. Após uma das suas primeiras visitas em 2013, o ex-jogador disse que buscava aproximar o mundo exterior da Coreia do Norte pela “diplomacia do basquete” (o ditador é um grande fã do esporte).

    Sua última visita ao país havia sido em janeiro de 2014, quando ele e um grupo de ex-jogadores da NBA participaram de uma partida de exibição organizada como suposto presente de aniversário para Kim.

    Deixar comentário
VipsRO

VipsRO

VipsRO


VipsRO

VipsRO

VipsRO

VipsRO